Possible but improbable spaces: Creation of a jewellery collection

 

Espaços possíveis, mas improváveis: Concepção de uma linha de joalharia

Researcher: Mónica Romãozinho

Presentation

In Interior Design and Architecture, we respond to the needs and aspirations of society, and the public may be anonymous or not. We can develop a narrative, communicate a specific message, explore a scenic sense that brings us closer to creative areas such as fine arts, set design and jewellery itself. These are areas responsible for the production of environments, spaces or objects that make us dream not just being “functional”. Jewellery can act as a symbol of social status or a link with one’s self nature. The present jewellery project is being developed inside CIAUD and intends to deep that same link, exploring the connection between jewel and home, an intimate space that reflects your own individuality, not confining you to one single organization every day giving you freedom to manipulate it.

The imagined space inspired by nature begins to determine the jewel. Its volumes and definition of ceilings is translated into organic surfaces composed of oblique planes that integrate the modular forms of hand-scale pieces and principles such as the use of vast transparencies that relate to exte-rior and interior, decomposition from the interior into volumes that define a private and public frontier, full and empty opposition, chromatic contrast, shadow and light values, textures and asymme-tries at the level of composition. Mutability and versatility are the main principles. Instruments such as sketches, or models were alternated with three-dimensional modeling software and 3D printing, exploiting new production media without losing track of the artisanal knowledges. From printed components, wastes or mass-produced objects that are no longer useful, crossed with traditional materials, we proceed to the creation of limited series pieces suitable for a public who values jewels by its unique design regardless of the value of its constructive solution.

Apresentação

No Design de Interiores e na Arquitectura, procuramos responder às necessidades e aspirações da sociedade, podendo o público ser anónimo ou não. Podemos desenvolver uma narrativa, comunicar uma mensagem específica, explorar um sentido cénico que nos aproxima de áreas criativas como as artes plásticas, a cenografia e, sem dúvida, a própria joalharia. São áreas responsáveis pela produção de paisagens, espaços ou objectos que nos fazem sonhar não se limitando a ser “funcionais”. Uma jóia pode simbolizar um determinado estatuto social ou simplesmente ser uma extensão da nossa personalidade, da nossa identidade. O presente projecto de investigação, desenvolvido no CIAUD, tem como objectivo aprofundar esta última função, explorando a conexão entre jóia e casa, um espaço intímo que não nos confina a uma organização sempre igual e que nos dá liberdade para manipular os seus espaços.

O espaço imaginado, referenciado na natureza, passa a determinar a jóia. Os seus volumes e definição de tectos traduzem-se nas superfícies orgânicas compostas por planos oblíquos que integram as formas modulares de peças à escala da mão e em princípios como: o recurso a vastas transparências ou vazados que relacionam exterior e interior, a decomposição do interior em volumes que definem uma fronteira entre público e privado, a oposição cheio e vazio, o contraste cromático, os valores de sombra e de luz, as texturas e assimetrias ao nível da composição. A mutabilidade e a versatilidade são princípios fundamentais presentes em toda as linhas. Instrumentos tais como esquissos ou maquetas foram alternados com o software de modelação tridimensional e impressão 3D, seguidos da prototipagem experimental e produção, sem perdermos a conexão com o saber artesanal. A partir de componentes impressas em 3D, matérias residuais ou de objectos produzidos em série que não oferecem maior utilidade, cruzadas com materiais tradicionais, procedemos à criação de peças destinadas a um público que valoriza as joias pelo seu desenho singular, independentemente do valor do seu material.

PARTNERSHIPS / PARCERIAS
RETHINK – Grupo de investigação em Design para o Território (CIAUD / ESART)
Território de Ideias
TEAM / EQUIPA (in CIAUD)
Mónica Romãozinho (PORTUGAL)
Fernando Moreira da Silva (PORTUGAL)
Gallery image copyright
@AnaRomãozinho